novo texto


segunda-feira, 3 de julho de 2017

IMORTALIDADE E INCORRUPTIBILIDADE


IMORTALIDADE & INCORRUPTIBILIDADE – Refere-se ao estado imortal no qual os crentes serão transformados quando forem glorificados. Para os santos do Novo e do Antigo Testamento, isso ocorrerá no momento do Arrebatamento (1 Co 15:51-56; Hb 11:40). Para a porção martirizada do remanescente judaico crente, será no final da Grande Tribulação (Ap 14:13). Os santos do Antigo Testamento não sabiam muito a respeito da vida após a morte, mas essa verdade já foi trazida à luz pelo evangelho. Agora sabemos que há "vida" para a alma e "incorrupção" para o corpo (2 Tm 1:10).
Como mencionado, no momento do Arrebatamento, o Senhor efetuará uma transformação nos santos que morreram, que Paulo declara como: "isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade" (1 Co 15:53a). O Senhor também efetuará uma mudança nos santos vivos conforme Paulo afirma: "isto que é mortal se revista da imortalidade" (1 Co 15:53b). Essa mudança será tanto moral quanto física. Suas almas e espíritos se livrarão da natureza caída de pecado, e assim eles serão feitos moralmente como Cristo é (1 Jo 3:2). Além disso, seus corpos serão feitos fisicamente como o corpo de Cristo é (Fp 3:21).
A alma de todos os homens é imortal – independentemente de ser salvo ou não. Gênesis 2:7 diz: "E formou o Senhor Deus o homem do pó da Terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente". Isso mostra que os espíritos e almas dos homens são "viventes" e não sujeitos à morte. Todos esses viverão para sempre, seja no gozo da bênção de Deus ou sob a condenação. Mesmo depois que uma pessoa morre e seu corpo é sepultado, seu espírito e sua alma continuam vivos. Em relação a isso, o Senhor disse: "Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para Ele vivem todos [os mortos]" (Lc 20:38). Enquanto a alma do homem é imortal, seu corpo é "mortal" – sujeito à morte (Jó 4:17; Rm 6:12, 8:11; 1 Co 15:53-54; 2 Co 4:11). A boa notícia é que chegará um momento para o crente quando aquilo que é "mortal" será "absorvido pela vida" (2 Co 5:4).