novo texto


segunda-feira, 3 de julho de 2017

IMAGEM E SEMELHANÇA


IMAGEM & SEMELHANÇA – Quando Deus criou o homem, Ele disse: "Façamos o homem à Nossa imagem, segundo a Nossa semelhança" (Gn 1:26). A "imagem" tem a ver com o homem ter sido colocado numa posição de representante visível de Deus na criação (1 Co 11:7). A "semelhança" tem a ver com o homem ter sido feito moralmente como Deus, sem pecado (Gn 5:1; Tg 3:9).
Quando o homem caiu, ele deixou de ser moralmente como Deus. Por isso, em seu estado caído, o homem perdeu sua semelhança com Deus. Daí em diante não se fala mais de o homem ser "à semelhança de Deus". Na verdade, fala-se da posteridade de Adão ser "à sua semelhança" (Gn 5:3), o que implica que Adão passou a seus descendentes a sua natureza pecaminosa, que ele adquiriu na queda (Rm 5:12; Sl 51:5). No entanto, mesmo em seu estado caído, do homem é dito ser "à imagem de Deus" (Gn 9:6). A queda não o absolveu de sua responsabilidade de representar Deus. Mas triste é dizer que essa imagem no homem foi manchada pelo pecado. O homem não representou Deus devidamente na criação.
Quando Cristo veio ao mundo, a Escritura diz que Ele era "a imagem de Deus" (2 Co 4:4; Cl 1:15; Hb 1:3). Ele não foi "feito" à imagem de Deus (como o homem foi) – Ele era "a imagem de Deus" em virtude de ser Quem Ele era. Assim, Ele representou perfeitamente a Deus como Cabeça da criação. No entanto, as Escrituras não dizem que Cristo era "à semelhança de Deus", como o homem era quando Deus o criou. A razão para isso é que, quando Cristo andou aqui, Ele não era como Deus, Ele era Deus (Jo 1:1). As Escrituras dizem que ao entrar na Humanidade, Cristo foi "feito semelhante aos homens" (Fp 2:7 – ATB; Rm 8:3). Isso não significa que Cristo tomou a carne pecaminosa em união Consigo. Ele não era semelhante ao homem moralmente. Esta afirmação refere-se ao fato de o Senhor ser semelhante aos homens na sua constituição – tendo um espírito humano (Jo 13:21), uma alma humana (Jo 13:27) e um corpo humano (Hb 10:5). Embora fosse um Homem real, Ele era "sem pecado" (Hb 4.15) – isto é, sem a natureza pecaminosa.
A boa notícia é que Deus, em graça, criou uma nova raça de homens sob Cristo (2 Co 5:17; Ef 2:10; Ap 3:14), na qual tanto a semelhança como a imagem são recuperadas. Os "muitos irmãos" (crentes) de Cristo na nova raça agora podem exibir os traços morais de Deus e, assim, representar a Deus na Terra convenientemente (Rm 8:29; Hb 2:11). A epístola aos Efésios realça a "semelhança de Deus" sendo exibida nessa nova raça (Ef 4:24-32), e a epístola aos Colossenses realça o fato de que a nova raça se "renova para o conhecimento, segundo a imagem daqu’Ele que o criou" (Cl 3:10). Assim, a nova raça sob Cristo recuperou aquilo que a velha raça perdeu sob Adão.